Reflexão: sobre os dias atuais…

 

Assunto bastante delicado, mas de antemão adianto que minha opinião não precisa ser aceita por todos, então vamos debater como cidadãos civilizados. Para falar sobre esse mundo de hoje eu precisaria de um mega-ultra-post porque hoje eu vou falar sobre a tecnologia, que mudou completamente o nosso modo de viver nos últimos 15 anos. A coisa vai crescendo à níveis incontroláveis, quem nunca pirou por não ter sinal de internet no celular? Quando eu era mais jovem, minha socialização era feita na pracinha que tem na minha rua, andava de patins na cidade, brincava de Barbie na calçada, e a balada do sábado era ir ao shopping encontrar os amigos das 19 as 22h (esse era o grande acontecimento da semana – e ele era o nosso facebook de atualmente). Sim, na época começava a era da internet (discada) e a interação das pessoas pelas salas de bate-papo e MIRC (quem ai ja usou?).  Hoje, com o aumento dessa influência digital na vida das pessoas, as relações passaram a ser muito mais rápidas. Continuamos opinando, mas hoje é sobre tudo! Acredito que hoje, ninguém é como realmente se diz ser nas redes sociais, ou pelo menos não é exatamente igual. Nas redes sociais ninguém admite preconceitos, todos são engajados, todos se compadecem a causas sociais..

Todo mundo pode e deve ser ouvido. O que acontece hoje, é que uma pessoa hoje tem acesso a  tanta informação ao mesmo tempo que acha que tem propriedade para falar de qualquer assunto que lhe chega aos ouvidos. Sempre que acontece alguma coisa que choca, há pessoas que são formadoras de opinião e falam sobre o assunto de maneira certeira e firme, e há aquelas que apenas reproduzem o discurso. Essa pessoa não fala de acordo com a sua religião, opinião política e cultural , e acho isso terrível. Opiniões baseadas em outras opiniões me parecem que são apenas ideias compradas para tentar ostentar nas redes sociais, isso eu digo de opinião apenas reproduzida, sem acrescentar em nada, apenas repetir uma idéia alheia. Isso é analfabetismo funcional e não é privilégio de quem não possui instrução escolar.. tem a questão do filtro e da credibilidade. Com a facilidade das redes sociais é natural que haja esse tipo de reprodução, mas se não se consegue ir além (e acho lamentável), digo que prefiro ouvir a opinião de um analfabeto funcional sincero que a opinião de um profissional de comunicação que está falando apenas para criar burburinho nas redes sociais e chamar atenção daqueles que o seguem.

E aí temos também a questão da intolerância (principalmente com questões homofóbicas e racistas) que se confunde com a idéia de manifestar opinião por trás de uma tela sem sofrer represália. A internet deixou de ser uma cidade tranquila, em que era possível passear sem medo desde que você evitasse determinados becos e ruas desconhecidas. Hoje, a pena para crimes virtuais são reais! Com a criação da lei Carolina Dieckmann em 2012 (lei Nº 12.737 ) agora é crime uma série de malefícios que possam ser causados por vias digitais ou virtuais, como invasão de computadores ou qualquer dispositivo digital, ataques de negação de serviço (que derrubam sistemas ou tiram do ar sites ao encaminhar uma grande quantidade de requisições ao mesmo tempo), e roubo, adulteração, destruição, divulgação ou comercialização de dados privados e sigilosos, como também mensagens eletrônicas de caráter difamatório, vexatório ou que cause qualquer malefício para a pessoa. 

Estamos num mundo de relações fugazes. Sim, precisamos agir rápido se quisermos continuar relevantes. Tudo agora é mais veloz e mutante, refletindo a realidade social. O ciclo de formação e popularização dos fatos, notícias e tendências está cada vez mais curto. Pessoas trocam de amores, amizades, empregos e marcas como quem troca de tênis. Estamos submetidos e inseridos numa nova era de total revolução em tudo o que fazemos, mas ainda com paradigmas e certezas que nos seguram no passado. Enormes transformações estão vindo rapidamente em nossa direção. O mundo de hoje é como uma estrada cheia de curvas em que é preciso combinar velocidade e cautela, atenção ao presente e visão de futuro, adaptabilidade e constância. Se não acendermos os faróis altos para ver o que está longe, a chance de dar de cara com um barranco é enorme. O desafio é antever os percalços que se apresentam na estrada. Por isso, dirijam com atenção! 

Empoderamento feminino? O que dizer sobre Mulher-Maravilha?

Ontem fui ao cinema assistir Mulher Maravilha. Apesar de estar por fora dessa onda de super-heróis (sempre confundo as bolas, confesso), mas meu namorado gosta tanto que tenho aprendido um monte com ele sobre esse universo. Pois bem, falando sobre o filme: A mulher maravilha além de heróina que usa suas armas e forças, usa, antes de tudo a cabeça! Sim. Ela é aquilo que a psicologia chama de novo protótipo de mulher, creio eu. Algo como a mulher capaz de governar o mundo. O filme trata de Diana, filha da rainha do Amazonas e sua mãe não queria que ela fosse uma guerreira, apesar da sua tia a ensinar a treinar para isso todos os dias, e parecer que Diana estava com isso “encrustado” no seu sangue desde pequena. No filme vemos que Diana treina intensamente, com o apoio da sua tia e de repente bate de cara com Steve Trevor, que aparece na ilha (ao me ver parecia ser uma ilha escondida) e por conta de um acidente, ela o salva no mar.

Depois que o salva, a ilha começa a ser tomada por uma batalha pelos alemães. Após isto, Diana decide ir embora com Steve para tentar acabar com uma guerra e para conhecer a sua verdadeira origem. O filme é traçado por humor e cenas incrivelmente fascinantes, que enchem os nossos olhos de magia. Gente, a cenas de lutas e de guerra são de tirar o fôlego, literalmente. Percebemos que durante todo o filme, Diana rouba a cena e deixa de lado a ideia de que a mulher é frágil e deve ser protegida. Exemplo disso é que Steve não rouba a cena como héroi em momento algum, apesar de sempre estar ajudando Diana em suas batalhas.

O que temos no filme é uma relação mútua de ajuda entre todos os envolvidos com Diana. Quando ela usa os seus braceletes para parar até as balas das armas o personagem meio que aceita que Diana é SIM capaz de lidar com qualquer um e contra qualquer coisa! Não vamos falar sobre o seu escudo, meu coração não é capaz de aguentar.. Diana é um personagem que me encantou de verdade. Não apenas pela sua beleza (que MULHER!), mas pela sua ingenuidade com as coisas triviais da nossa sociedade.. Ela é inteligente e capaz de chegar onde quer. Toda essa idéia de ingenuidade e de não saber muito bem o que as coisas “reais” significam (afinal ela mora em uma ilha secreta), rendem bons momentos e risadas para quem está assistindo ao filme. Apesar de ter ido assistir ao filme com (muito) sono, eu sai sai da sala de cinema vencida e mega empolgada pra ver mais filmes da DC comics! Que filme fantástico, que cenas, que efeitos!

O tema do empoderamento feminino fica em destaque e merece um pouco da nossa atenção, afinal ele basicamente, se refere a dar poder para outras mulheres e cada mulher assumir seu poder individual. Com isso, há crescimento e fortalecimento do papel de todas na sociedade. É notório que houve um tempo em que muitos barraram o empoderamento feminino por causa de regras visivelmente patriarcais, que não nos vê como iguais perante os homens, mas como competidores ou rivais. Silenciamos chances de empoderar ao promovermos mais homens que mulheres. Silenciamos chances de empoderar ao acharmos que a culpa é da vítima. Podemos não ver, mas provocamos desigualdades em vários âmbitos até nos abrirmos para a desconstrução.De novo, parece que empoderamento feminino é missão exclusiva dos coletivos feministas ou de entidades como a ONU, mas é uma missão diária que qualquer mulher pode abraçar. Não precisa se dizer feminista para empurrar a mulher ao próximo degrau, embora o ato de apoiar uma mulher e enaltecê-la seja intrínseco ao feminismo. Empoderar é liberdade. Uma liberdade que o patriarcado não quer. Empoderar é igualdade e a mulher ainda não é vista como igual na sociedade. Pensando nisso, fiz um infográfico com 4 coisas que eu não sabia a respeito da Mulher Maravilha:

Portanto, deixo aqui o meu apelo: ASSISTAM! Não apenas pelas suas cenas incríveis, pela sua produção maravilhosa, mas pela mensagem que ele passa por trás de todas as suas quase 2:30h de filme. É com certeza um dos melhores filmes já produzidos.