Empresas que NÃO testam em animais e Respeitam o meio ambiente

Diga NÃO aos Testes em Animais!

Você aí já se questionou se o produto que comprou/usa tem origem animal? Já parou pra pensar que antes de você usar, um animalzinho foi sacrificado em testes cruéis? Essas perguntas eu me fiz, a partir do momento que vi uma base maravilhosa e baratinha (aquela mate da Ruby Rose) que não testava em animais, e fiquei absurdamente feliz por isso! Há 4 anos, eu estava tratando desse mesmo tema na minha tese de monografia da faculdade, e hoje a  experimentação animal continua gerando uma grande polêmica em todo o universo cientifico, uma vez que muitos pesquisadores continuam a utilizar esse método arcaico, que é a utilização de animais para fins científicos e didáticos. Para eles, tal pratica cruel é natural e indispensável, considerando esse tipo de experimento como sendo o único meio para se obter o conhecimento.

Oi?

Tradicionalmente, o homem submeteu a natureza às suas demandas e imposições visando o desenvolvimento econômico, o seu próprio bem-estar, entretenimento, alimentação, etc. Ao longo de décadas, o bem-estar humano tornou-se justificativa para a utilização desmedida e desregulada dos animais em experimentos. Os animais assim estiveram, por muito tempo, excluídos da esfera moral do ser humano, por existirem apenas para servir ao homem como objetos e não criaturas vivas.

Animais indefesos

Cumpre salientar que aqui se considera a dignidade da vida, inerente não apenas ao ser humano, mas a todos os seres vivos, em uma ótica biocêntrica que impõe ao Poder Público e à sociedade a proteção dos animais assim como ocorre com os homens (leia-se ser humano).  Os animais são seres inteligentes, conscientes e éticos. Por isso, também têm direitos, que devem ser garantidos pelo ser humano. Inúmeras pesquisas científicas provam que são seres vivos com interesse próprio. Portanto, tem de ser reconhecidos como sujeitos de direito, inclusive contra o próprio homem.

Tem-se conhecimento acerca da importância de se testar as substâncias que serão disponibilizadas às pessoas para evitar danos à saúde, mas até que ponto é ético e válido testes em animais para produtos que não são essenciais à saúde humana? O homem tem direito sobre a vida de outros seres, principalmente no que se refere a uma indústria voltada quase exclusivamente ao supérfluo? Pode-se afirmar que não existem boas razões, cientificas ou filosóficas, para se afirmar que a dor ou prazer vivenciado por animais não- humanos são menos importantes que a mesma quantidade sentida pelos humanos.

Sobre a PEA

A PEA (Projeto Esperança Animal) trás uma lista de marcas que não utilizam testes em animais. Ela é uma organização séria, que lida com os problemas dos animais de perto e com muita força! Não deixem de conhecer e acessar a lista completa das marcas brasileiras que não utilizam animais em experimentos. Eles mantêm uma lista atualizada de empresas brasileiras que não testam em animais. Vamos conferir algumas das mais conhecidas?

Além dessa lista gostaria de fazer uma ressalva: A Natura deixou bem claro aqui que não testa em animais, porém a mesma ainda utiliza de recursos animais em seus produtos e ainda sim óleos minerais (que são derivados do Petróleo).  A MAC e Clinique são todas marcas que infelizmente fazem testes. Mas para a minha felicidade, tem MUITA marca excelente que é cruelty-free e até vegan. Tem uma coisa que podemos eliminar!!! Sempre que possível é importante fazer as escolhas de forma consciente e não consumista-louca. E vou continuar rezando para que grande parte dessas marcas que gostamos tanto PAREM de usar animais para testar. Estamos em 2017 e a tecnologia está tão avançada que não é possível que não exista outra alternativa que não agrida os animais e a natureza.

Os produtos da Quem Disse Berenice vem disputando com nomes grandes, isso porque além de produtos baratos, eles são lindos e divertidos, com ótima qualidade!  Ela é uma marca totalmente nacional e você ainda pode experimentar e se divertir em qualquer loja. A Quem Disse Berenice te deixa livre para experimentar. De verdade! Nas lojas você pode experimentar os produtos que ficam á mostra, pode passar diretamente no rosto ou nas costas da mão, onde quiser.

Maquiagens

As maquiagens Vult são também brasileiras e oferecem muita qualidade. O que acontece, é que geralmente as pessoas procuram maquiagens importadas, por serem mais divulgadas no mercado. No entanto, as maquiagens brasileiras, muitas vezes são melhores do que as maquiagens de renome. Além de um preço muito mais acessível. Portanto, deixem o preconceito de lado e corram para as marcas baratas nacionais! Elas vão te supreender! As sombras são bem pigmentadas, não esfarelam, são macias.

Então, com tudo o que foi exposto hoje, deixo aqui o meu recado. Procure sempre se inteirar sobre o que você anda consumindo. Afinal, é o nosso dinheiro que faz estas empresas vilãs ainda continuarem no mercado. Espero que possamos nos orgulhar em dizer que a humanidade progrediu sem causar nenhum sofrimento às outras espécies. Todos os tópicos aqui tratados foram escolhidos com a intenção de servir de estímulo a reflexão. Isso com a esperança de que um dia possamos efetivar os direitos dos animais. Percebendo que algumas práticas que denominamos científicas ou culturais ou comuns são atrozes.

Vocês querem um post sobre produtos que não possuem origem ou teste de animais especificamente? Com dicas, etc? Se sim, deixem nos comentários!

Um beijo, e uma ótima semana para todos!

 

Vocês sabiam? Como surgiu a maquiagem

Quem hoje consegue se imaginar indo pra balada ou pra um jantar importante sem ao menos passar um pozinho no rosto???  A maquiagem é sem dúvida o truque embelezador mais usado no mundo, seja por mulheres ou homens e isso não é coisa “da nova geração”. A história da maquiagem é bem antiga é sobre isso que venho falar hoje!

Relatos apontam que a maquiagem surgiu no Egito por volta de 3000 antes de Cristo, no Egito. 

SOMBRA: Proteção Divina

Lá no Egito, tanto homens quanto mulheres preenchiam as palpebras com kohl, uma sombra escura que era aplicada em torno do olho e proporcionava um olhar profundo aos Egípcios. Esse produto também tratava as infecções oculares através da presença de chumbo. O objetivo era proteger os olhos, considerados “espelhos da alma”, contra espíritos malignos. É interessante constatar que todos os Egípcios se maquiavam (homens, mulheres, crianças) de todas as classes e funções e a análise química das maquiagens encontradas nos monumentos funerários provou que este povo já possuía um grande domínio da cosmética. O kohl é um pigmento preto ainda usado como sombra – isto é, para sublinhar o contorno dos olhos e escurecer cílios e sobrancelhas. 

 

LÁPIS DE OLHO: Convite ao Pecado

O lápis do olho também vem do kohl. O formato em bastão foi um modo de obter traços mais delineados. Na Idade Média, o hábito foi abandonado porque a Igreja o considerava uma forma de vaidade. Mas o kohl existe até hoje, em versão aprimorada. É o chamado kajal, muito usado por indianos e árabes.

 

Até hoje encontramos os lápis kajal pelas prateleiras das principais lojas de cosméticos. Realmente a pigmentação é bem mais forte que os lápis comuns. As grandes marcas nunca deixam de garantir estoques para essa belezura!

 

BLUSH: Beterraba na Cara

O tom vermelho no rosto indica boa circulação sanguínea – e, portanto, boa saúde. Na Grécia antiga, homens e mulheres reforçavam a cor com amoras e algas marinhas. O blush atual remonta à França do século 18 quando Alexander Bourjoism, dono de uma empresa de comésticos, criou um pó à base de frutas e beterraba. Batizou-o de rouge (vermelho, em francês).Outra receita antiga foi registrada pelo dramaturgo Aristófanes, na Atenas do século 5 a.C: uma mistura de gordura e tinta vermelha.

A marca  já possui mais de 148 anos de sucesso ficou famosa por sua linha de perfumes e maquiagem francesa que cresceu e está em todos os continentes. 

No Brasil, os produtos da Bourjois podem ser encontrados na Sephainclusive tem desconto com o código abaixo clica aqui e aproveita! Os blushes da marca são INCRIVEIS! EU indico para todo mundo! 

CÓDIGO DE CUPON: M4QU01PCNT

BASE: Reboco de Parede

Se você também está na luta pela pele perfeita, saiba que isso vem dos nossos ancestrais! Os romanos usavam giz para parecerem mais brancos e ocultar pequenas manchas na pele. Já na Grécia, a mistura era feita com cera de abelha e azeite de oliva, para deixar a pele bem lisinha. Mas foram os japoneses, no século XVII, que fizeram a maquiagem que perdurou por mais tempo, o “Oshiroi”, que consistia em uma massa feita com pó de arroz. E esse produto rendeu e até nossas avós chegaram a usar!

RÍMEL: Lá vem História 

Foi o perfumista francês Eugene Rimmel, no século 19, que lançou a primeira forma de rímel. Em 1917, o químico T. L. Willian, atendendo a um pedido de sua irmã Maybel, reinventou o produto, adicionando vaselina e pó de carvão. Assim, nasceu o nome Maybelline: Mabel (nome da sua irmã) + vaselina. O cosmético era, inicialmente, usado com uma escovinha para aplicar o produto e era apenas vendido por correio. No entanto, o produto fez tanto sucesso que começou a ser pedido pelas senhoras nas drogarias e mercearias. Anos depois, fundou a empresa Maybelline e popularizou o produto na forma de bastão em tubo, o que facilitou muito sua aplicação.  Atualmente a Maybelline está presente em mais de 90 países pelo mundo e os seus produtos são distribuídos em todos os tipos de superfícies comerciais. O objectivo da empresa é fazer com que as mulheres se sintam mais bonitas e femininas e é por isso e pela avançada tecnologia e pesquisa na hora de elaborar os seus produtos.

 

BATOM: Beleza que Mata

Os indícios mais remotos do uso de algo para pigmentar os lábios são encontrados no Antigo Egito, em 5000 a.C. Tratava-se de uma substância natural denominada “púrpura Tyr”, usada pelas mulheres das altas classes sociais, a qual era capaz de realçar significativamente a cor dos lábios. Algum tempo depois, também na civilização dos faraós, foi criada a pigmentação vermelha, obtida a partir do óxido de ferro. Na Roma antiga, uma pasta gordurosa à base de cevada, chifre de veado, mel e salitre era usada como proteção para os lábios. Os egípcios aplicavam pigmentos extraídos de algas, iodo e bromo manitol, que eram muito tóxicos. A moda de pintar a boca se tornou mais difundida (e segura) no século 17, com pomadas coloridas que viriam a originar o batom. 

Foi no começo do século XX que o batom conquistou seu lugar cativo na lista de objetos indispensáveis da mulherada, época em que o mesmo começou a ser vendido embalado num tubo e vendido em cartucho na cidade de Paris. A partir daquele momento, a difusão do uso do batom pelo mundo inteiro era apenas uma questão de tempo.

 

ESMALTE: As Cores do Status

Tudo começou por volta de 3500 a.C. no no Antigo Egito, onde as mulheres egípcias usavam tintura de henna preta nas unhas. Cores vibrantes só podiam ser usadas pela família real, sendo que Cleópatra preferia tonalidades vermelho-escuro e Nefertiti gostava do tom rubi. Na época, os “esmaltes” eram feitos com goma arábica, gelatina, cera de abelhas e clara de ovo. 

 Mas foi na China do século 14 que surgiu a primeira mistura química para esse fim. Era feita de goma-arábica, clara de ovo, gelatina e cera de abelha. As cores escuras eram usadas pelas pessoas de classe alta, e as claras pela população mais pobre.  Lá começou-se a usar tons vermelhos e metálicos ( já um tipo de esmalte parecido com o atual) que eram feitos com soluções de prata, significando a ocupação em um lugar privilegiado na hierarquia social, onde os reis pintavam as unhas como sinal de nobreza, com cor vermelha e preta. Logo, esses tons foram substituídos pelo dourado e prateado. Os chineses tinham seus padrões: unha comprida era símbolo de nobreza. 
Só como curiosidade: nessa época, os primeiros esmaltes eram feitos com laca, derivado de goma e resina, que era dissolvida em óleo. Demorava muito para secar e ainda absorvia poeira e saía com muita facilidade das unhas.

 

Como vocês podem ver a maquiagem evoluiu muito durante a história da humanidade, mas há de convir que os produtos que usamos hoje ainda são bem parecidos (ou pelo menos profundamente inspirados) com os de antigamente. A tecnologia cosmética inova a cada segundo, mas a cultura da vaidade continua a mesma há 5 mil anos.

Dica do dia: Para quem, assim como eu, gosta de maquiagem, indico o site da Sepha que tem um grande acervo de produtos de beleza e grandes marcas. Disponibilizei lá em cima um cupom para quem comprar maquiagens acima de 49,00 receber 5% de desconto, e vou colocar aqui em baixo outro cupom de 15% de desconto para compras acima de R$199. Portanto, corram lá! Tem vários produtos da Tracta, Deillus, Lancôme, Dior, etc! O cupom para compras acima de 199 é M4QU02PC3T. 

Espero que vocês tenham gostado!

Beijos, e até o próximo post!!!