Outubro Rosa e o Câncer de Mama

Não poderia deixar passar em branco um mês e uma campanha tão importante, para nós, mulheres. Sim! outubro é feita a campanha do Outubro rosa, movimento internacional que tem como objetivo principal ressaltar a importância e necessidade da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama.

O mês do combate ao câncer de mama

Foi em 1990 que nasceu o movimento conhecido como Outubro Rosa,  que serve para estimular a participação de toda a população no controle do câncer de mama. Todo ano a data é celebrada com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

Outubro Rosa

Estatísticas

Embora a doença cardíaca acabasse com mais vidas de mulheres, o câncer de mama é o câncer mais comum e temido entre as mulheres. Por isso existe essa campanha, que tem como objetivo aumentar o conhecimento da doença e também promover o diagnostico precoce, para que mais vidas possam ser salvas.

O câncer de mama também afeta homens, com mais de 2.000 casos sendo diagnosticados anualmente. E lembrem-se, muitas das mudanças de estilo de vida que são descritas aqui podem reduzir não apenas seu risco de câncer de mama, mas de câncer em geral. Então, leia e faça o seu melhor para seguir todas essas recomendações.

Sugestões que podem diminuir suas chances de desenvolver o câncer

1) Faça exercícios diários regulares

Estudos têm demonstrado que as pessoas que se exercitam por um total de quatro horas por semana têm um risco significativamente menor de desenvolver câncer de mama. O exercício também ajuda com o controle de peso, que é amplamente conhecido por ter um impacto positivo em inúmeros aspectos da sua saúde.

2) Limite a ingestão de álcool

Consumir mais de quatro porções de álcool por semana aumenta o risco de câncer de mama.Para aqueles que querem estar no lado seguro, apenas diga não ao álcool. Mas para aqueles que não querem se abster ou querem os benefícios oferecidos pelos antioxidantes que promovem a saúde no vinho, limite-se a não mais do que um copo por semana. 

3) Passe pelo menos 20 minutos por dia ao sol

Isso ajuda a aumentar seus níveis de vitamina D, também conhecida como “a vitamina do sol”.A pesquisa mostra que as mulheres pós-menopausa com os níveis mais altos de vitamina D apresentaram menor risco de desenvolver câncer de mama quando comparadas às que apresentam níveis mais baixos.

São recomendados 1.500 UI de Vitamina D3 diariamente, a menos que seus níveis sejam baixos, caso em que provavelmente você precisará de uma dose mais alta. Um exame de sangue simples pode dizer se você precisa de mais vitamina D3. Se isso for o caso, seu médico pode sugerir a dosagem apropriada.

4) Reduza o estresse com a meditação

O estresse aumenta os níveis do hormônio do estresse conhecido como cortisol, que está relacionado a alguns problemas de saúde graves, incluindo ansiedade, ganho de peso e câncer.

A meditação reduz o cortisol enquanto aumenta os níveis do hormônio serotonina e apoia a imunidade saudável – outro elemento importante para combater o câncer.

Fatores de Risco Cancer de Mama

Algumas considerações 

Se você nunca foi diagnosticado com câncer de mama e fizer essas mudanças isso poderá ajudá-lo a permanecer livre de câncer, especialmente quando combinado com autoexames regulares e mamografiasSe você já teve a doença, as alterações de estilo de vida que eu estou recomendando podem ser aliadas poderosas na prevenção de uma recorrência.

Se a lista for uma mudança muito drástica para você, simplesmente enfrente uma mudança por semana nos próximos meses e, antes de perceber, você estará mais saudável do que nunca!

Saber como seus peitos normalmente sentem é uma parte importante da saúde.

Auto Exame Cancer de Mama

Encontrar o câncer da mama o mais cedo possível dá-lhe mais chance de tratamento bem-sucedido.

Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas

Prevenir é o melhor caminho!

Beijos!

 

Dicas de Aplicativo: Moda Livre

Você é o que você… Veste!  Descobrir quais marcas não estão envolvidas com casos de trabalho análogo à escravidão agora ficou mais fácil com o aplicativo Moda Livre, desenvolvido pela ONG Repórter Brasil.

Para cortar custos e se eximir da responsabilidade de arcar com direitos trabalhistas, é bastante comum que marcas populares e grifes renomadas terceirizem a sua produção de roupas. Infelizmente, a falta de controle sobre os fornecedores abre portas para a escravidão contemporânea e outras infrações trabalhistas nas oficinas de costura. Um sistema que tem como vítimas mais comuns migrantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica de países sul-americanos, que chegam aqui à procura de melhores condições de vida.

A ONG CRIADORA

O Réporter Brasil é uma organização não governamental criada em 2001 por jornalistas, cientistas sociais e educadores. Ela apura e dissemina informações para fomentar a reflexão e a ação contra a violação aos direitos dos trabalhadores do campo. É uma das principais fontes de dados sobre trabalho escravo no país.

O site reporterbrasil.org.br é tido como referência não só no Brasil, mas também internacionalmente, sendo muito comum o intercâmbio de informações com jornalistas de alguns dos principais veículos de imprensa do planeta.

Com a estratégia de distribuição gratuita de conteúdo e licença aberta para livre reprodução, a equipe consegue ampliar o alcance de denúncias e colocar na agenda da sociedade brasileira temas de fundamental importância tais como tráfico de pessoas, trabalho infantil, superexploração de trabalho em frigoríficos, no setor têxtil, impactos ambientais do uso de veneno, entre outros.

Desde o começo, a missão da Repórter Brasil é identificar e tornar público casos de violação aos direitos socioambientais e trabalhistas de forma a mobilizar lideranças políticas, sociais e econômicas para efetivar os direitos humanos no Brasil.

Entendendo a cadeia produtiva

O aplicativo entende que as empresas devem ter responsabilidade em toda a sua cadeia produtiva. Então, se ela contrata um fornecedor e terceiriza a produção de roupa, ela também é responsável por isso. Esse é o entendimento do Ministério Público e do Ministério do Trabalho.

Escolher a próxima roupa que estará em seu guarda-roupa é uma ferramenta mais poderosa do que você pensa. Afinal, caso os consumidores não deem mais dinheiro para marcas que exploram trabalhadores, aumentam as chances de toda a cadeia de produção da moda sofrer transformações positivas.

Com essas informações valiosas na palma da mão fica muito mais fácil escolher de quem vamos comprar. Então, antes de entrar numa loja, que tal pensar no tipo de empresa que queremos apoiar?

Moda Livre: O app que denuncia

O aplicativo para celular “Moda Livre”, criado pela organização, incentiva o consumo consciente de roupas. A ferramenta pode ser baixada em celulares com sistemas iOS e Android, e traz atualmente um catálogo com mais de 77 grifes e varejistas da moda apontados de acordo com o comportamento de cada uma delas em relação ao respeito a direitos trabalhistas. Importante salientar que todas as informações são coletadas junto ao Ministério do Trabalho.

1- Caso a empresa tenha algum mecanismos de acompanhamento da cadeia produtiva e não tem histórico de uso de mão de obra escrava, é sinalizada em verde.

2- Se ela monitora seus fornecedores, mas de forma insuficiente ou se já foi flagrada anteriormente com mão de obra escrava, é sinalizada em amarelo.

3- Se a marca não controla as condições laborais das fábricas, já foi autuada por trabalho escravo ou se negou a responder o questionário, é sinalizada em vermelho.

Gente, pasmem! Grandes marcas como, Colcci, Centauro, Demillus e Triton estão com o sinal vermelho, ou seja, são muito mal avaliadas. O interessante é que dentre todas as marcas disponíveis, é possível saber quais foram os crimes cometidos por elas, qual o nível da transparência na informação das condições de seus trabalhadores, qual a qualidade do monitoramento de sua rede de fornecedores, e se não há nenhum flagrante de mão de obra escrava em seu histórico. Sensacional ou não?

O aplicativo não recomenda que o consumidor compre ou deixe de comprar roupas de determinada marca, apenas fornece informações para que faça a escolha de forma consciente. E isso é o mais bacana! O consumo consciente hoje é um assunto que gera muita reflexão, principalmente pelo fato da celeridade das relações de consumo. Como consumidores, cabe a nós a escolha: vamos consumir diretamente de marcas que ignoram os direitos humanos? Vale o questionamento antes de comprar aquela roupa bacana nas grandes cadeias.

Agora não temos mais como desculpa o fato de ter que averiguar no google as marcas que não estão comprometidas com esse tipo de crime: o aplicativo faz todo trabalho pra gente e aponta quem são os mocinhos e os vilões da indústria da moda.

Ferramentas como o app Moda Livre são importantes, pois nos permite abrir os olhos e a entender que ao comprar uma peça de roupa vale levar em conta muito mais do que simplesmente o preço. A sua nova blusa de R$10 pode estar custando caro para quem a produz. Pense nisso.

O app está disponível gratuitamente para iPhone e Android!

Espero que tenham gostado!

Beijos

 

Empresas que NÃO testam em animais e Respeitam o meio ambiente

Diga NÃO aos Testes em Animais!

Você aí já se questionou se o produto que comprou/usa tem origem animal? Já parou pra pensar que antes de você usar, um animalzinho foi sacrificado em testes cruéis? Essas perguntas eu me fiz, a partir do momento que vi uma base maravilhosa e baratinha (aquela mate da Ruby Rose) que não testava em animais, e fiquei absurdamente feliz por isso! Há 4 anos, eu estava tratando desse mesmo tema na minha tese de monografia da faculdade, e hoje a  experimentação animal continua gerando uma grande polêmica em todo o universo cientifico, uma vez que muitos pesquisadores continuam a utilizar esse método arcaico, que é a utilização de animais para fins científicos e didáticos. Para eles, tal pratica cruel é natural e indispensável, considerando esse tipo de experimento como sendo o único meio para se obter o conhecimento.

Oi?

Tradicionalmente, o homem submeteu a natureza às suas demandas e imposições visando o desenvolvimento econômico, o seu próprio bem-estar, entretenimento, alimentação, etc. Ao longo de décadas, o bem-estar humano tornou-se justificativa para a utilização desmedida e desregulada dos animais em experimentos. Os animais assim estiveram, por muito tempo, excluídos da esfera moral do ser humano, por existirem apenas para servir ao homem como objetos e não criaturas vivas.

Animais indefesos

Cumpre salientar que aqui se considera a dignidade da vida, inerente não apenas ao ser humano, mas a todos os seres vivos, em uma ótica biocêntrica que impõe ao Poder Público e à sociedade a proteção dos animais assim como ocorre com os homens (leia-se ser humano).  Os animais são seres inteligentes, conscientes e éticos. Por isso, também têm direitos, que devem ser garantidos pelo ser humano. Inúmeras pesquisas científicas provam que são seres vivos com interesse próprio. Portanto, tem de ser reconhecidos como sujeitos de direito, inclusive contra o próprio homem.

Tem-se conhecimento acerca da importância de se testar as substâncias que serão disponibilizadas às pessoas para evitar danos à saúde, mas até que ponto é ético e válido testes em animais para produtos que não são essenciais à saúde humana? O homem tem direito sobre a vida de outros seres, principalmente no que se refere a uma indústria voltada quase exclusivamente ao supérfluo? Pode-se afirmar que não existem boas razões, cientificas ou filosóficas, para se afirmar que a dor ou prazer vivenciado por animais não- humanos são menos importantes que a mesma quantidade sentida pelos humanos.

Sobre a PEA

A PEA (Projeto Esperança Animal) trás uma lista de marcas que não utilizam testes em animais. Ela é uma organização séria, que lida com os problemas dos animais de perto e com muita força! Não deixem de conhecer e acessar a lista completa das marcas brasileiras que não utilizam animais em experimentos. Eles mantêm uma lista atualizada de empresas brasileiras que não testam em animais. Vamos conferir algumas das mais conhecidas?

Além dessa lista gostaria de fazer uma ressalva: A Natura deixou bem claro aqui que não testa em animais, porém a mesma ainda utiliza de recursos animais em seus produtos e ainda sim óleos minerais (que são derivados do Petróleo).  A MAC e Clinique são todas marcas que infelizmente fazem testes. Mas para a minha felicidade, tem MUITA marca excelente que é cruelty-free e até vegan. Tem uma coisa que podemos eliminar!!! Sempre que possível é importante fazer as escolhas de forma consciente e não consumista-louca. E vou continuar rezando para que grande parte dessas marcas que gostamos tanto PAREM de usar animais para testar. Estamos em 2017 e a tecnologia está tão avançada que não é possível que não exista outra alternativa que não agrida os animais e a natureza.

Os produtos da Quem Disse Berenice vem disputando com nomes grandes, isso porque além de produtos baratos, eles são lindos e divertidos, com ótima qualidade!  Ela é uma marca totalmente nacional e você ainda pode experimentar e se divertir em qualquer loja. A Quem Disse Berenice te deixa livre para experimentar. De verdade! Nas lojas você pode experimentar os produtos que ficam á mostra, pode passar diretamente no rosto ou nas costas da mão, onde quiser.

Maquiagens

As maquiagens Vult são também brasileiras e oferecem muita qualidade. O que acontece, é que geralmente as pessoas procuram maquiagens importadas, por serem mais divulgadas no mercado. No entanto, as maquiagens brasileiras, muitas vezes são melhores do que as maquiagens de renome. Além de um preço muito mais acessível. Portanto, deixem o preconceito de lado e corram para as marcas baratas nacionais! Elas vão te supreender! As sombras são bem pigmentadas, não esfarelam, são macias.

Então, com tudo o que foi exposto hoje, deixo aqui o meu recado. Procure sempre se inteirar sobre o que você anda consumindo. Afinal, é o nosso dinheiro que faz estas empresas vilãs ainda continuarem no mercado. Espero que possamos nos orgulhar em dizer que a humanidade progrediu sem causar nenhum sofrimento às outras espécies. Todos os tópicos aqui tratados foram escolhidos com a intenção de servir de estímulo a reflexão. Isso com a esperança de que um dia possamos efetivar os direitos dos animais. Percebendo que algumas práticas que denominamos científicas ou culturais ou comuns são atrozes.

Vocês querem um post sobre produtos que não possuem origem ou teste de animais especificamente? Com dicas, etc? Se sim, deixem nos comentários!

Um beijo, e uma ótima semana para todos!

 

Terça de Lei: O que é União Estável?

Vamos lá para mais uma terça COM LEI? Hoje trouxe um assunto importantíssimo e que sempre gera dúvidas.

A união estável é a relação de convivência entre duas pessoas, continua e duradoura que é estabelecida com o objetivo de constituição familiar. Ao contrário do que muitos pensam, não é necessário o decurso de tempo para que seja caracterizada a união estável, ou seja, pode ser 1 ano,4 anos, 10, 20.. o que importa é que a relação seja continua e que dure. Para a lei brasileira, um casal que tenha convivência contínua, pública e duradoura e se une com o objetivo de constituir família – o que não significa necessariamente querer ter filhos – vive em uma união estável. O entendimento é o mesmo tanto para casais formados por um homem e uma mulher quanto pelos pares homoafetivos. Pegou?

O que determina que a relação é uma União Estável?   Os requisitos objetivos para a constituição da união estável são:

A notoriedade: Basta que os companheiros tratem-se socialmente como marido e mulher, revelando sua intenção de constituir família. O elemento objetivo, exterior, visível, que se percebe no meio social, que se demonstra inequivocamente aos olhos de todos, é a convivência pública, vale dizer, notória, ostensiva, dos protagonistas do relacionamento afetivo, que não pode ser escondido, clandestino, mantido em segredo.

A estabilidade ou duração prolongada: que não exige um tempo mínimo de convivência, mas sim o suficiente para que se reconheça a estabilidade da relação (que pode ser de meses ou de anos, desde que nesse período fique comprovada a intenção de constituir uma família).  Embora muita gente ache que haja um tempo minimo de 2 anos, a lei brasileira não fixa tempo de convivência, mas a estabilidade é pressuposto fundamental, para que a união estável se estabeleça.

A continuidade: é necessária a existência de continuidade no relacionamento, sem interrupções, considerando que a instabilidade causada por constantes rupturas no relacionamento pode provocar insegurança jurídica. Dessa forma, a convivência continua significa ser firme, sem hiatos ou interrupções marcantes. Requer-se, então, estabilidade.

A inexistência de impedimentos matrimoniais: estão proibidas as uniões estáveis quando existirem os impedimentos matrimoniais, considerando que “quem não tem legitimação para casar, não tem legitimação para criar entidade familiar pela convivência”. A única exceção é em relação às pessoas casadas, separadas de fato ou judicialmente que, ainda que impedidas de contrair matrimônio, poderão conviver em união estável.

A relação monogâmica:  é exigida nos relacionamentos em decorrência do princípio da monogamia que norteia o nosso ordenamento jurídico pátrio. Nesse sentido, não se admite a concomitância de relacionamentos, visto que tal possibilidade feriria o princípio monogâmico, e consequentemente, o dever de lealdade do casal, uma vez que mencionada conduta está eivada de infidelidade.

A diversidade de sexos: é considerada requisito para a caracterização da união estável. Apesar do texto constitucional restringir que família somente existe entre homem e mulher, atualmente é reconhecida a união estável homoafetiva de caráter familiar, onde já é possível a sua devida formalização através da declaração de união estável ou pelo casamento civil.

A inexistência de coabitação não desconfigura a união estável, já que esse elemento é prescindível, por não ser pressuposto exigido no dispositivo legal. O entendimento pacífico dos Tribunais caminha no sentido de que a coabitação é facultativa nos relacionamentos, não sendo obrigatória para caracterizar união estável. Isso é uma dúvida que muitos tem, mas o entendimento já é pacificado na doutrina e jurisprudência nacional. Logo, NÃO é preciso que o casal more na mesma residência para que se configure união estável.

Ao lado desses elementos objetivos, vem o elemento subjetivo, interno, moral: a intenção de constituir família, a convicção de que se está criando uma entidade familiar, assumindo um verdadeiro e firme compromisso, com direitos e deveres pessoais e patrimoniais semelhantes aos que decorrem do casamento, o que tem de ser aferido e observado em cada caso concreto, verificados os fatos, analisados o comportamento, as atitudes, consideradas e avaliadas as circunstâncias. Esse é um importante fator para distinguir as uniões estáveis dos namoros, que também se apresenta informalmente no meio social.

Isso é muito importante de ser dizer pois nos tempos atuais é comum que os namorados durmam, frequentem e coabitem as respectivas casas, que viajem juntos, demonstrem publicamente o seu afeto um para com o outro, etc e isso pode se assemelhar muito a uma união estável. Parece, mas não é! Pois falta um elemento imprescindível da entidade familiar, o elemento interior, anímico, subjetivo: ainda que o relacionamento seja prolongado, consolidado, e por isso tem sido chamado de “namoro qualificado”, os namorados por mais profundo que seja o envolvimento deles, não desejam e não querem – ou ainda não querem – constituir uma família, estabelecer uma entidade familiar.

Esse é um assunto muito complexo, eu precisaria de um post GIGANTE para falar sobre tudo. Trouxe aqui as informações básicas que muitas pessoas têm dúvida acerca do instituto jurídico. O importante é ter em mente que atualmente é tida como entidade familiar, haja vista que  esta recebeu a proteção total da nossa Constituição. 

Quem tiver duvidas, deixa nos comentários que terei o maior prazer em responder!

Um beijo e até o próximo post!