Dicas de Aplicativo: Moda Livre

Você é o que você… Veste!  Descobrir quais marcas não estão envolvidas com casos de trabalho análogo à escravidão agora ficou mais fácil com o aplicativo Moda Livre, desenvolvido pela ONG Repórter Brasil.

Para cortar custos e se eximir da responsabilidade de arcar com direitos trabalhistas, é bastante comum que marcas populares e grifes renomadas terceirizem a sua produção de roupas. Infelizmente, a falta de controle sobre os fornecedores abre portas para a escravidão contemporânea e outras infrações trabalhistas nas oficinas de costura. Um sistema que tem como vítimas mais comuns migrantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica de países sul-americanos, que chegam aqui à procura de melhores condições de vida.

A ONG CRIADORA

O Réporter Brasil é uma organização não governamental criada em 2001 por jornalistas, cientistas sociais e educadores. Ela apura e dissemina informações para fomentar a reflexão e a ação contra a violação aos direitos dos trabalhadores do campo. É uma das principais fontes de dados sobre trabalho escravo no país.

O site reporterbrasil.org.br é tido como referência não só no Brasil, mas também internacionalmente, sendo muito comum o intercâmbio de informações com jornalistas de alguns dos principais veículos de imprensa do planeta.

Com a estratégia de distribuição gratuita de conteúdo e licença aberta para livre reprodução, a equipe consegue ampliar o alcance de denúncias e colocar na agenda da sociedade brasileira temas de fundamental importância tais como tráfico de pessoas, trabalho infantil, superexploração de trabalho em frigoríficos, no setor têxtil, impactos ambientais do uso de veneno, entre outros.

Desde o começo, a missão da Repórter Brasil é identificar e tornar público casos de violação aos direitos socioambientais e trabalhistas de forma a mobilizar lideranças políticas, sociais e econômicas para efetivar os direitos humanos no Brasil.

Entendendo a cadeia produtiva

O aplicativo entende que as empresas devem ter responsabilidade em toda a sua cadeia produtiva. Então, se ela contrata um fornecedor e terceiriza a produção de roupa, ela também é responsável por isso. Esse é o entendimento do Ministério Público e do Ministério do Trabalho.

Escolher a próxima roupa que estará em seu guarda-roupa é uma ferramenta mais poderosa do que você pensa. Afinal, caso os consumidores não deem mais dinheiro para marcas que exploram trabalhadores, aumentam as chances de toda a cadeia de produção da moda sofrer transformações positivas.

Com essas informações valiosas na palma da mão fica muito mais fácil escolher de quem vamos comprar. Então, antes de entrar numa loja, que tal pensar no tipo de empresa que queremos apoiar?

Moda Livre: O app que denuncia

O aplicativo para celular “Moda Livre”, criado pela organização, incentiva o consumo consciente de roupas. A ferramenta pode ser baixada em celulares com sistemas iOS e Android, e traz atualmente um catálogo com mais de 77 grifes e varejistas da moda apontados de acordo com o comportamento de cada uma delas em relação ao respeito a direitos trabalhistas. Importante salientar que todas as informações são coletadas junto ao Ministério do Trabalho.

1- Caso a empresa tenha algum mecanismos de acompanhamento da cadeia produtiva e não tem histórico de uso de mão de obra escrava, é sinalizada em verde.

2- Se ela monitora seus fornecedores, mas de forma insuficiente ou se já foi flagrada anteriormente com mão de obra escrava, é sinalizada em amarelo.

3- Se a marca não controla as condições laborais das fábricas, já foi autuada por trabalho escravo ou se negou a responder o questionário, é sinalizada em vermelho.

Gente, pasmem! Grandes marcas como, Colcci, Centauro, Demillus e Triton estão com o sinal vermelho, ou seja, são muito mal avaliadas. O interessante é que dentre todas as marcas disponíveis, é possível saber quais foram os crimes cometidos por elas, qual o nível da transparência na informação das condições de seus trabalhadores, qual a qualidade do monitoramento de sua rede de fornecedores, e se não há nenhum flagrante de mão de obra escrava em seu histórico. Sensacional ou não?

O aplicativo não recomenda que o consumidor compre ou deixe de comprar roupas de determinada marca, apenas fornece informações para que faça a escolha de forma consciente. E isso é o mais bacana! O consumo consciente hoje é um assunto que gera muita reflexão, principalmente pelo fato da celeridade das relações de consumo. Como consumidores, cabe a nós a escolha: vamos consumir diretamente de marcas que ignoram os direitos humanos? Vale o questionamento antes de comprar aquela roupa bacana nas grandes cadeias.

Agora não temos mais como desculpa o fato de ter que averiguar no google as marcas que não estão comprometidas com esse tipo de crime: o aplicativo faz todo trabalho pra gente e aponta quem são os mocinhos e os vilões da indústria da moda.

Ferramentas como o app Moda Livre são importantes, pois nos permite abrir os olhos e a entender que ao comprar uma peça de roupa vale levar em conta muito mais do que simplesmente o preço. A sua nova blusa de R$10 pode estar custando caro para quem a produz. Pense nisso.

O app está disponível gratuitamente para iPhone e Android!

Espero que tenham gostado!

Beijos

 

Os queridinhos do momento: Patches!

Patches!

Desde o ano passado, em 2016, os patches reapareceram nas vitrines e não foram mais esquecidos. Os looks com patches seguem em alta, alguns customizados, outros feitos pelas marcas… Mas todos sempre muito divertidos! São sapatos, bolsas, roupas e até mesmo os apliques avulsos que tomaram de conta do mundo fashion.

        

Acho que o mais divertido da moda, é filtrar e adaptar algumas tendências para o seu estilo de vida de acordo com o que você mais se identifica e é exatamente isso que eu faço. Por isso, dificilmente você irá ver eu usando uma super tendência da moda logo de cara, porque antes, eu preciso pensar nela como um todo. No inicio eu via os patches como algo “over” e até mesmo mais infantil,mas hoje, eu não posso ver uma peça com eles que eu já fico louca!!!

Eu quero isso já!!!!

Tendência

Foi febre nos anos 90 e as blogueiras fashionistas do momento continuam apostando na tendência! Os patches coloridos nada mais são do que adesivos que “colam” na peça com o ferro de passar roupa. Você dá uma nova cara ao look sem gastar muito, em pouco tempo e sem esforço. E te juro, fica liiindo! Os patches podem ser colados em jaquetas, camisas, calças, shorts ou até mesmo em mochilas e bolsas. Eles são encontrados facilmente em armarinhos e lojas de artesanato, mas também rola comprar pela internet! Algumas lojas vendem os patches avulsos para você customizar suas próprias peças, legal né?? Segue uma listinha:

  1. Dafiti – Na Difiti você encontra vários patches que variam de 26 a 45,00 reais. Tem modelos lindinhos e por um preço bem bacana.
  2. A Pink Vanilla é uma loja de super fofa e moderna. Lá vocês encontram uma variedade de patches e claro, de outras produtos mega fofos!
  3. Mercado Livre- Muitos tem certo receio em comprar no ML, mas posso falar? Isso ficou pra trás, hoje o site possui um dos maiores acervos de coisas baratinhas. Tudo o que você precisar e imaginar você encontra, e nunca tive problema com nada até hoje. O site usa o PagSeguro como opção. Eu super indico!!
  4. Na Fatum vocês encontram também vários Patches com uma pegada mais Rock And Roll. Se você gosta desse estilo, essa é a loja certa!!
                                                    Patches para você customizar

Muito mais!

Além das opções para roupas, os sapatos estão vindo com tudo por aí! A tendência para 2018 são os patches e os holográficos. Confere alguns itens da Santa Lolla, um mais maravilhoso que o outro! Claro que os mais do que amados unicórnios não poderiam ficar de fora… ainda mais unidos ao efeito holográfico! <3

E por ultimo, mas não menos importante: AS BOLSAS. Um dos estilos de bolsa mais descolado atualmente são as bolsas divertidas e com uma pegada mais “fun”.

A bolsa a tiracolo, vem sendo muito usada, e é mais despojada, por ser usada de maneira transversal. Na Carmen Steffens, Dafiti, Marisa, Renner e várias outras lojas há um grande acervo das queridinhas do momento. Aposte, e have fun!

E vocês, o que acham dessa pegada?

Deixem nos comentários!

Beijos

Minha Lojinha no Enjoei

Vocês com certeza já ouviram falar em brechó, bazar, etc. Mas esse termo ainda hoje sofre alguns preconceitos. A maioria acha que esses locais de venda de peças usadas, semi-novas e até mesmo vintage são roupas e artigos que não servem mais. Ou que estão em péssimo estado. Já existem várias as iniciativas, no Brasil e no mundo, de levar a sério o que antes era feito em rodas de amigos (como troca de roupas) ou em viagens para o exterior (quem nunca se gabou de ter comprado algo num flea market londrino?). O fato é que aqui no Brasil, cada vez mais encontramos bazares de ótima qualidade e o Enjoei é um exemplo disso.

O site tem muita coisa diferente e bonita, algumas com um preço bem amigo, outras nem tanto, mas vale a pena conferir. Além disso, reúne marcas pequenas, médias e grandes, como Louis Vuitton, que podem ser compradas a um precinho mais justo e com as peças em bom estado. Se antes um brechó era sinônimo de “coisa velha”, com cheiro de naftalina e ambiente austero, agora tudo mudou com o crescimento do e-commerce no país. Todo esse aumento de interesse em brechós é muito válido, porque se trata de um dos pilares da sustentabilidade, posto em prática: a reutilização de algo que já foi de alguém, mas que, por isso, não será apenas jogado no lixo, poupando a natureza de todo o trabalho de decomposição do objeto. É o chamado “consumo consciente“.

E isso não tem só a ver com a preocupação em relação ao consumo consciente. Está diretamente relacionada aos impactos sociais e ambientais negativos de uma produção e consumo de moda desenfreados. Esse movimento todo tem a ver também com preço: comprar de segunda-mão é mais barato. Segundo o Sebrae, a economia pode chegar a 80% em relação às compras em lojas tradicionais.

Tenha mais estilo

As peças em brechós são únicas ou contam com poucos similares. Seja pela idade, seja porque todas as outras já foram descartadas – com pouco dinheiro, você pode compor um look incrível. Sem contar em fazer muito sucesso aonde for. E detalhe: sem correr o risco de estar com a mesma roupa de alguém!

Se você não é muito fã de comprar de segunda-mão eu garanto. Depois que você começar, não vai querer mais parar. Portanto, convido todas vocês a dar uma olhada na minha lojinha no enjoei, lá sempre tem peças que não uso mais e TODAS estão em perfeito estado. Além do enjoei, tenho também na OLX a minha lojinha com alguma peças diferentes! Não custa nada ar aquela olhadinha, né? Toda semana vou estar colocando peças novas. 

Espero que tenham gostado do post e da nova cara do blog!!!

Um Beijo

Me sigam nas redes sociais!

 

Tendências do Verão 2018

Verão 2018? Mas já? Isso mesmo, pessoal. O inverno aos poucos está indo embora, e lá vem mais uma estação chegando cheia de desejos pra gente atualizar o nosso armário. Por esse motivo reuni nesse post algumas apostas dos fashionistas que mais amei! <3 Vamo conferir??

1- Camisaria

Não é de hoje que a gente tá amando as camisas. Ver elas em produções inusitadas será algo bem comum, a peça poderá ser usada tanto como vestido como repensada em outras funções.O uso de assimetria será um recurso para deixar essa peça da alfaiataria cheia de estilo. Camisas são sempre bem vindas para deixar seus looks incríveis.Em tamanho oversized, com cara de que roubou do armário do namorado, ou com a gola aberta pra deixar o look mais sofisticado. Agora, essa paixão pelas camisas ganhou um espaço só dela, com peças cheias de atitude. As interferências bordadas trazem a delicadeza e um toque de criatividade pra peça mais clássica da vida!

 

 

 

 

 

2- Clochard

Vocês conhecem essa tendência? O tal item é uma peça que costuma aparecer em alfaiataria ou jeans, com a cintura alta e que deixa os looks com um mix de conforto e elegância. Ela veio direto dos anos 80, com esse franzidinho na barra que não deixa a calça apertada demais, nem larga demais, quando a gente precisa ajustar. Além da cintura alta ser uma ótima alternativa e marcar a silhueta, podemos sentar com conforto. Ela é uma mistura de alguns dos estilos preferidos das fashionistas de plantão, com uma pegada de street style, por marcar a cintura e dar um ar mais feminino pro visual.
 

3- Jeans

Sempre um clássico em todas as estações, o jeans vem conquistado cada vez mais peças. O estilo destroyed está em evidência, tanto nas peças inferiores como nas superiores e não é surpresa que ele estaria nessa lista porque ele nunca esteve tão em alta como agora! É inevitável entrar em uma loja e não dar de cara com uma infinidade de peças diferentes disponíveis no jeans, como vestidos, saias, blusas e camisas. Toda essa variedade é muito bem vinda, pois com certeza enriquece muito os nossos looks do dia-a-dia, com toda a versatilidade que só o jeans possui! E pensando nisso eu separei alguns modelos que estão super em alta e vale super a pena investir. Eu amo!
Por falar em Jeans, chega às lojas da Hering nesse mês de agosto a primeira linha de jeans sustentável da marca. A Hering passa a comercializar sua nova coleção de jeans, batizada de Eco Edition e desenvolve peças com tecido sustentável. A fabricação envolve reciclagem e redução de impacto na natureza. Legal ne? Quem tiver curiosidade no site da marca já possui as peças!

4- Super Decotes

A questão principal dessa moda tão provocante é o limite entre o bonito e o vulgar. A atitude na hora de usar um look desse é muito importante, elegância é palavra de ordem. É necessário ter bom senso na hora de usar essa tendência.  Justamente por isso, eles estão vindo com modelagens  mais soltinhas pra deixar o look mais confortável sem deixar de ser despojado!
E vocês, qual tendência acham que vai bombar no verão? Me contem nos comentários!
Beijos
Me sigam nas redes sociais: Instagram / Facebook