Carlos Ruas na XI Bienal do Livro de Pernambuco

Um sábado qualquer

Vocês conhecem o Carlos Ruas? Aposto que sim. As tirinhas dele são amplamente difundidas na internet (principalmente nas redes sociais) com uma leitura bem-humorada do Criador (Deus). “Um Sábado Qualquer” (http://www.umsabadoqualquer.com/) rende mais frutos que qualquer árvore das parábolas de Jesus. Seu blog tem mais de 40 mil acessos diários de pessoas que querem saber mais sobre todo esse universo religioso. Além dos sucessos nas tirinhas on-line, Ruas ficou famoso pelo humor livre de preconceitos ao tratar de um tema polêmico: a religião.

O criador fez personagens seculares com muita criatividade, inteligência e tornou algo que mescla o sério com o cômico. Carlos Ruas é designer e o responsável pelo blog. Hoje seus personagens, como Deus e Luci, ficaram tão famosos que foram além dos quadrinhos, eles existem em formato de pelúcia. Uma fofura! Isso mesmo. Hoje ele possui livros impressos publicados e até itens como almofadas, quadros, capachos etc, como forma de firmar a sua marca no dia-a-dia dos fãs. Confira aqui o seu acervo. Eu sou apaixonada!

O que acho mais legal nas tirinhas do Ruas é que além da temática religiosa com a pitada cômica, não é raro ver o seus personagens interagindo com Friederich Nietzche, Oscar Niemeyer, Charles Darwin, Chico Xavier, Vinicius de Moraes e muitos outros.

Para quem não conhece, eu digo: Vale muito a pena conhecer o trabalho do Ruas. É um humor que não é nem de longe ofensivo. Claro, que para os radicais, a figura muda. O humor do cartunista é light e pacífico, assim como tem de ser!

Bienal do Livro de Pernambuco

Quem me segue nas redes sociais sabe que o blog foi selecionado para fazer parte da cobertura da XI Bienal do Livro de Pernambuco. Foi uma grande conquista, pois eu sempre goste de ler!!! Então fiquem ligados, que vai ter muito conteúdo bacana por aqui nessa curta temporada. Para quem é de Recife e proximidades, fica a aqui o meu convite: A bienal será realizada de 06 a 15 de outubro no Centro de Convenções de Pernambuco e vai trazer nessa edição várias novidades para quem gosta do universo geek e cultura pop, como oficinas de HQ e Artist Alley.

O Carlos Ruas é um dos nomes integrantes dessa ala ao lado dos gigantes Thony Silas, responsavel por desenhar personagens como Batman, Homem- Aranha e Demolidor pela DC COMICS e Eron Villar, roteirista.

O autor tem Quino como uma das grandes referências. Em uma das suas entrevistas diz que a melhor ferramenta para se trabalhar é a mão. Os seus desenhos são feitos primeiramente a lápis e nanquim para depois serem escaneados e  com a ajuda de programas, as sequências são montadas e coloridas e só então estão aptas para publicação. 

Ele diz sempre ter sido um leitor apaixonado de tirinhas, e quando percebeu que tinha talento para a coisa, resolveu criar as suas próprias. Como o tema religião o interessava, e poucos artistas abordavam o assunto, ele decidiu apostar na ideia.

Críticas?

Até onde eu sei, o Ruas não tem uma religião definida, e isso se torna algo bom para o seu trabalho pois ele se mantém imparcial e fala de todas as religiões com um toque de humor muito legal.

Acredito que um grandes diferenciais do trabalho dele é o fato de abordar uma questão delicada (Deus, religião e o diabo) com personagens que são humanizados, que possuem os vícios e virtudes que nós, meros mortais temos. O intuito de Carlos Ruas não é levantar bandeira ou ofender qualquer religião, mas busca promover “o diálogo, o debate e o livre pensamento filosófico” em um tempo marcado por manifestações de intolerância.

Para quem gosta de tirinha e de cultura pop vale a pena conferir o seu trabalho. E para quem é de Pernambuco, nos vemos na Bienal!

Um beijo e até a próxima!

 

Dicas para mais um Rock in Rio

Vai ao Rock in Rio? Então você precisa ler esse post!! Essa vai ser a primeira edição que vou do festival, e como vocês já sabem: sou muito ansiosa. Por conta disso, estou participando de vários grupos no Facebook, e durante esse tempo eu adquiri várias dicas e conhecimento (por que não?) do maior festival de rock do mundo. Querem saber como aproveitar o festival ao máximo? Então vem comigo!

 

Dicas do que não levar:

  1. Garrafas de qualquer gênero, tamanho ou material (exemplos: garrafas de água mineral, “squeezes”, etc), exceto garrafas plásticas para consumo de água, desde que sem tampa.
  2. Embalagens rígidas e com tampa (exemplo: potes de plásticos do tipo “tupperware”);
  3. Guarda-chuvas
  4. Objetos de vidro, plástico ou metal (perfumes, cosméticos, inclusive desodorantes de qualquer tipo, pasta ou escova de dente);
  5. Bastão de selfie (extensor para tirar auto-retrato)
  6.  Bandeiras ou cartazes contendo mensagens ou símbolos com divulgações comerciais.
  7. Alimentos com intuito de comercialização.
  8. Uso de máquinas fotográficas profissionais (lente intercambiável) ou equipamentos de filmagem profissionais.

O festival também disponibiliza de um guarda-volumes (lockers) para bolsas e bagagens. O preço antecipado do aluguel é de r$ 35. O interessado pode optar por adquiri-lo junto a um carregador portátil por r$ 70 (ambos têm o acréscimo de uma taxa de conveniência de r$ 3,50, que garante a reserva durante todo o período selecionado e dá direito a acesso preferencial para a retirada do seu locker). O serviço, de acordo com a organização do evento, será monitorado por câmeras. O festival também disponibilzica locais para carregar os celulares, mas você não vai querer contar com a sorte de conseguir algum disponível né?

Dicas do que levar:

  1. Comida com um limite de até 05 (cinco) itens por pessoa, dando-se preferência a: (a) alimentos industrializados devidamente lacrados (exemplos: biscoitos, torradas, barras de cereal etc); (b) frutas cortadas e acondicionadas em embalagem transparente e não rígida, do tipo “Zip Lock”; e (c) sanduiches acondicionados em embalagem transparente e não rígida, do tipo “Zip Lock”.
  2. Óculos de sol e protetor solar (não pode ser spray/ aerosol). Uma dica é levar aqueles sachês de amostra! Ocupa menos espaço!
  3. Em relação a medicamentos, há várias controvérsias. O bom é que se for levar, também pegar a receita médica para evitar maiores problemas, como pessoas que possuem asma. Remédios para dor de cabeça, enjôos estão liberados.
  4. Carregador portátil de celular.
  5. Levar o documento com foto (pelo amor de Deus).
  6. Doleira – Maior invenção do mundo. Serve para colocar debaixo da roupa para guardar dinheiro, cartão de crédito e qualquer outra coisa que você ache extremamente necessário e não ser furtado!
  7. Protetor de vaso sanitário: Vai que dá um piriri lá na hora? EU sou muito precavida. HAHAHA
  8. Casaco – Muita pessoas estão reclamando do frio a noite. Portanto, VALE A PENA.
  9. Capa de chuva – Lá no festival estão vendendo por R$25,00. Então é melhor comprar antes aquela com precinho mais amigo!
  10. Preciso falar dos ingressos? Acho que não, né?

 

 

Dicas para seu pé sobreviver ao Rock in Rio 2017

Se o seu fiel escudeiro de academia não combina com o look para o festival, opte por uma bota com salto largo e baixinho. Eu comprei meu tênis na via mia, e posso dizer que ele é ultra confortável, mas só isso não garante 2 dias de festival. Comprei um protetor de calcanhar de espuma, pois evita que o pé entre em atrito com a parte de trás do tênis. Não se esqueça de vestir meias confortáveis e priorize materiais que não apertam para que você possa se mover livremente, inclusive se sentar.

 

E segue o baile: se você é daqueles que (como eu) não se contenta com apenas um dia de show, o seu cuidado terá que ser ainda maior. Capriche nos alongamentos antes e depois da maratona – não esqueça os pés e dedos. Faça um escalda pés numa bacia com água entre 38°C e 46°C e aproveite para massagear – isso alivia dores e os efeitos dos impactos sobre eles.

Dicas de Look:

Não tem outra opção: Conforto é a palavra chave!

Saias longas e vestidos caem bem. Mas evite as mini saias e os vestidinhos muito curtos, pois a opção para sentar entre um show e o outro é o chão. Você não vai querer pagar calcinha…A melhor opção para o festival é short ou calça! Vou os dois dias de short pois pelo que tenho lido e visto por aí, é que o calor é de matar. A opção para o frio e se for o caso dos mosquitos, é repelente e jaquetinha básica na mochila.

Os meus dois looks foram customizados, mas já adianto que sou adepta aos shorts! hahah Quem me acompanha nas redes sociais sabe que eu (com a grande ajuda do meu namorado, que fez todo o desenho) fiz um colete especialmente para usar no RIR. Dêem uma conferida no vídeo abaixo. O resultado final, vocês verão aqui nos próximos dias!

Espero que vocês tenham gostado das dicas e me sigam no instagram que de lá vou mostrar tudo o que estará rolando pelo maior festival de rock do mundo!!!!

Beijo e até!

 

13 Reasons Why e o Mundo Real

Quem aqui não é viciado numa série?  Pois bem. Hoje vim falar sobre uma das séries originais da Netflix que gerou grande discussão, principalmente diante do seu tema central: o suicídio. Não se trata de uma série qualquer, mas de 13 Reasons Why.

Toda a trama da série acontece quando  Clay Jensen (um adolescente que recebeu uma caixa de sapatos com 13 fitas cassete) ao rodar as fitas se choca ao ouvir a voz de Hannah Backer, sua amiga e paixão secreta que havia cometido suícidio semanas antes! Mas não pára por aí, a grande  surpresa acontece porque Hannah tirou a própria vida poucas semanas antes e listou os 13 motivos que lhe levaram a tomar essa decisão drástica, sendo que seu último desejo era que todos os envolvidos ouvissem as fitas.

Mas quais são as consequências jurídicas para casos como esse? Sim, pois os motivos que levaram Hannah a fazer o que fez são hoje, mais comum do que vocês imaginam, motivos  esses que  a série faz questão de mostrar de maneira bastante pesada e instiga o debate sobre assuntos polêmicos, especialmente, entre os adolescentes. Nós podemos discutir aqui o bullying, o abuso físico e psicológico, machismo , até chegarmos no estupro. 

Quando assisti a série, confesso que não estava em um dos meus melhores momentos de vida, e por isso não indico a  série para quem esteja passando por um período complicado emocional, sofre com distúrbios mentais, tenha histórico de depressão ou está se tratando atualmente. Li muito a respeito e de acordo com especialistas, uma das principais razões das tentativas de suicídios é a depressão. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada 40 segundos ocorre um suicídio no planeta. Por ano, são mais de 800 mil pessoas que atentam contra a própria vida, esses números são alarmantes!

1. Bullying

O bullying é um dos vilões da adolescência, que envolve quase 30% dos estudantes brasileiros – seja praticando ou sofrendo a violência caracterizada por agressões verbais ou físicas, intencionais, aplicadas repetidamente contra uma pessoa ou um grupo. A gozação ou “brincadeiras maldosas” se tratam de bullying, que é uma condição de agressões físicas ou verbais de forma repetitiva e intencional causada por um ou mais estudantes a um ou mais colegas. De acordo com pesquisa do Brasil Escola de 2010, o bullying acontece em instituições de ensino público e particular, sobretudo, na 5ª e 6ª séries. Um estudo da Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (Abrapia) apontou que mais de 40% das vítimas nunca buscou ajuda ou falou sobre a situação nem mesmo com amigos. Além disso, esses atos agridem os princípios da Constituição Federal que pregam o respeito à dignidade da pessoa e também o Código Civil, que estabelece que qualquer ação ilícita que gere dano a terceiro desencadeia a necessidade de indenização. O Bullying pode acontecer por meio de ataques físicos, insultos pessoais, comentários sistemáticos e apelidos pejorativos, ameaças por quaisquer meios, grafites depreciativos, expressões preconceituosas, isolamento social consciente e premeditado. Lembrando que se for praticado pela rede mundial de computadores, também é bullying (cyberbullying). 

Em 2015 foi instituído, por meio da lei 13.185, o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying) no Brasil. Segundo essa lei, considera-se bullying “todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas

2. Divulgação de imagens íntimas sem consentimento 

A exposição de fotos intimas na internet sem a devida autorização também é um dos foco da série. No Brasil, o personagem que fez a divulgação responderia por difamação (imputar fato ofensivo à reputação) ou injúria (ofender a dignidade ou decoro), como estabelecem os artigos 139 e 140 do Código Penal. No entanto, a situação do autor da divulgação é ainda mais grave, já que se trata de uma adolescente de 17 anos. Neste caso, o Estatuto da Criança e do Adolescente prevê como crime grave a divulgação de imagens de crianças ou adolescentes em situação de sexo explicito ou pornográfica.Na esfera cível isso significa que  o autor poderia arcar com uma indenização por danos morais.

3. Violência sexual e estupro 

A situação que acaba com a resistência de Hannah tem relação com um crime considerado hediondo no Brasil e previsto no artigo 213 do Código Penal. A definição de estupro é constranger alguém, mediante violência ou ameaça, a ter conjunção carnal ou praticar ato libidinoso. Hoje em dia, a pena no país é de 6 a 10 anos de prisão, subindo para 8 a 12 anos quando ocorre lesão corporal ou se a vítima tem entre 14 e 18 anos de idade, como o caso retratado em 13 Reasons Why. É essencial destacar que a Lei 12.845/2013 exige que o Sistema Único de Saúde ofereça atendimento de emergência para as vítimas deste crime hediondo, contando com tratamento para lesões e todos os exames necessários. 

 Mas talvez você esteja se perguntando o que tudo isso tem haver com direito. Lá vai! A Constituição Federativa do Brasil trás o princípio da dignidade da pessoa humana e sua definição contém uma abrangência ampla de modo a ser compreendida em seus diversos aspectos.

 

NOTEM: É possível denunciar esses e outros crimes em delegacias especializadas para atendimento de crianças, adolescentes e mulheres ou recorrer ao Disque Direitos Humanos – Disque 100, um serviço de utilidade pública da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR). O Disque Direitos Humanos tem o objetivo de ajudar as pessoas vistas em alta condição de vulnerabilidade, especialmente, crianças e adolescentes, idosos, deficientes, moradores de rua, índios e pessoas em privação de liberdade. Mas, se a sua vontade for apenas conversar sem julgamentos, de maneira totalmente anônima, gratuita e discreta entre em contato com Centro de Valorização da Vida (CVV) por meio de telefone, chat, e-mail, Skype e pessoalmente a qualquer hora do dia ou da noite.

A boa notícia é que a busca pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) aumentou em 445%. O CVV é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, que presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo!  

O deboche comum em piadas de mal gosto, a ofensa presente nos comentários perversos e o olhar de desprezo machucam. Atos irrefletidos podem ter consequências penais. Não se deve ser indiferente ao outro tratando-o como coisa, visto que ele, assim como você, é humano e possui sentimentos. Ajude, elogie, aconselhe, dê uma palavra amiga. Às vezes uma simples frase com teor de bondade dá sentido a vida de alguém! 

Espero que tenham gostado do post de hoje!

 

 

 

God Save the Queen: tributo do Queen chega ao Brasil

O grupo God Save The Queen desembarcou em Recife ontem, dia 04 de Junho no Teatro Riomar para mais uma apresentação da sua turnê “Don’t Stop me Now”. A banda conquistou fama de ser a versão mais fiel do Queen original e são conhecidos por usar vestuários, instrumentos e cenografias semelhantes aos que animaram os fãs na década de 1980 e hoje conta com mais de 20 anos de carreira. Iniciada na Argentina, ela chama atenção de fãs de diversas partes do mundo e faixas etárias devido às semelhanças até mesmo físicas dos integrantes com a banda original. O argentino Pablo Padín impressiona ao lembrar Freddie Mercury, inclusive na forma de cantar (que voz!). No seu novo espetáculo (que por sinal tem o nome da minha música predileta deles)- Don’t Stop me Now- eles reúnem os melhores clássicos do Queen num show para turnê mundial de 2017, e possuem um aparato de itens idênticos aos da banda original, a começar pelo cantor que além da voz, mostra uma surpreendente semelhança de modo de andar, se vestir e até de se comportar no palco durante toda a sua apresentação.

O grupo apresenta músicas clássicas da banda como We Will ROck You, Radio Gaga, Bohemian Rhapsody, We are The Chapions, dentre outros sucessos que marcaram a época. O que mais impressiona é que Pablo Padin não apenas faz uma apresentação idêntica ao astro do rock Freddie, mas parece a sua própria encarnação. O timbre da voz se assemelha muito, não posso dizer que é igual (até porque não poderia, Freddie tinha uma voz única), mas é bastante similar e Padin compensa isso atingindo vigorosamente todas as notas. Mas ainda não era o bastante para o Freddie Mercury argentino. No clássico trecho operístico de “Bohemian Rhapsody”, ele encarou os vocais e tocou o piano, tudo ao vivo — coisa que nem o Queen original arriscava fazer no palco. Surreal!!!  Clica aqui pra ver uma apresentação deles!! 

Tudo o que rodeia a banda ajuda a recompor a atmosfera dos shows do Queen: cenário, figurino, iluminação. O resultado final é irretocável. Quatro caras trabalhando com esmero e levando o conceito de banda-tributo aos seus estertores, para poder entregar ao público aquele Queen de 1986, no auge da glória, como que numa imagem congelada no tempo. O que me leva a ficar pensativa sobre o que restou do Queen, que atualmente conta com a presença de Adam Lambert, ganhador da oitava temporada do reality show ” American Idol, como vocalista.  Posso dizer? Não dá. O menino canta bem, se esforça tenta ser o rock and roll das galáxias, mas no final é tudo pose. Para mim é um crime no rock.

Mas voltemos ao que interessa.. A banda que conta com 4 integrantes foi eleita em 2011 pela Revista Rolling Stone como sendo o melhor tributo de todos os tributos do mundo. Ela consegue criar um espaço e uma sensação de estar realmente vendo ao Queen original, e ao vivo! Sim, a banda não utiliza playback em momento algum do show, e os integrantes ocupam o mesmo espaço e a mesma formação em cena, exatamente como o grupo inglês o fazia na década de 80. Eles já rodaram pela Europa, Ásia, Americana do Norte, Oceania e ganham fama e admiração do cativo publico e fãs de Freddie Mercury e cia.

Para quem também é fã, ou gosta do Queen, eu super recomendo a ida! A banda irá se apresentar em junho nas principais capitais do Brasil. Segue lista abaixo:

  • Dia 09 de junho – Teatro Bradesco São Paulo
  • Dia 14 de junho – Auditório Araújo Vianna Rio Grande do Sul
  • Dia 17 de junho – Teatro Bradesco Rio de Janeiro

Eles já passaram por Fortaleza, Natal e Recife. Certamente o legado deixado pela formação clássica da banda está em boas mãos com o God Save the Queen! 

Voltem sempre a Recife e principalmente, ao Brasil.

Beijos, beijos!