Amor Por Direito

A dica hoje é de um superfilme. Baseado em fatos reais, “amor por direito” conta a história de  Laurel Hester, uma detetive de Nova Jersey, que é lésbica mas esconde o fato de seus colegas conservadores. O drama pretende ser muito mais do que um romance entre duas mulheres, pois se trata de um caso real sobre buscas por direitos civis.  Tudo começa quando Laurel conhece e se apaixona por uma jovem mecânica, Stacie  (atriz que protagonizou o filme Juno)– que tem uma personalidade oposta -,e ela não revela seu segredo por medo de prejudicar a carreira pela qual trabalhou tão duro. A trama mostra as duas se conhecendo e decidindo morar juntas. Logo depois Laurel é diagnosticada com câncer terminal, em 2005, e passa a lutar para que Stacie receba sua pensão após sua morte, algo que o governo nega a casais do mesmo sexo. Assim, ela se torna uma figura da luta dos direitos dos homossexuais. Toda essa situação é bastante trágica. O que Laurel e Stacie querem não é um privilégio, e sim um direito. A briga foi comprada por ativistas gays que, com o caso, ganharam precedentes para o casamento gay ser garantido mais adiante. Todo o projeto caiu no gosto não só de Page, mas de todo o elenco. O assunto apresentado no filme é sim algo que ainda precisa ser discutido e apresentado nos cinemas. Apesar de hoje já regulamentado, o filme ainda merece destaque, pois cumpre bem o seu papel ao trazer a história real com sinceridade e de certa forma emocionante, que ajudou, inclusive, a atriz Ellen Page a sair do armário durante as gravações. Não vou dar spoilers sobre o filme, mas vocês já devem imaginar o rumo que a história toma. Hoje no Brasil, o casamento gay já está regulamentado há 4 anos e conta com mais de 15 mil registros oficializados em todo país. Os direitos dos homossexuais encontram amparo na CF/88, a qual tem com objetivo fundamental a promoção do bem de todos sem preconceito de sexo (art. 3°, IV), bem como veda a discriminação (art. 5°, caput) por qualquer natureza. O conceito de família sofreu transformações profundas nos últimos 100 anos, e o casamento gay é um marco nessas mudanças com o objetivo de garantir que a lei dê tratamento igualitário a todos. Ainda assim, o Direito de Família é uma área que ainda necessita de discussões com a participação de profissionais atualizados. 

Espero que tenham gostado da dica!

Aproveitem e me sigam nas redes sociais.

Um beijo!

2 comentários em “Amor Por Direito

  1. Muito bom o post, Dra. Tamara! Dentro deste tema, indico um super documentário: chama-se “Bridegroom”, e tem no netflix! Vale a pena assistir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *